O Preço de falar a Verdade

Hoje em dia, em qualquer ambiente, falar TODA A VERDADE não é mais uma virtude, pelo contrário é arrogancia, legalismo inoportuno, etc…

São tantas argumentações para que a “meia-verdade” seja a regra, que a maioria de nós prefere se omitir a falar TODA A VERDADE

Mas e quando se refere as questões da igreja, da religião, dos irmãos, será que cabe se omitir ou praticar a “meia-verdade”?? Afinal o que dizem alguns sobre aqueles que preferem TODA A VERDADE, vejamos:

Falar TODA A VERDADE no âmbito da igreja vai ser interpretado como:

Orgulho Espiritual
Separatismo
Malediscência
Possessão Demoníaca
Perturbação
Espirito de Confusão
Rebeldia
Não toque o “Ungido”
Bla Bla Bla

O que seria falar TODA A VERDADE?

A resposta para esta questão tem muitas variantes, porque depende do assunto; por exemplo, se o assunto for:

Salvação! TODA A VERDADE SERIA:

1. Só é salvo quem nasceu de novo

2. Só é salvo quem o foi pelo próprio Deus

3. Nem todas as pessoas que frequentam a igreja são salvas

4. Quem não é salvo está condenado ao inferno

5. Quem não é salvo não pode ser chamado de irmão

6. Somente Deus escolhe quem será salvo (e Ele já fez isso, desde a fundação do mundo)

Por este exemplo podemos ver o quanto se poderia falar sobre um determinado assunto, mas nem tudo agrada a todos e assim muitas verdades são intencionalmente omitidas com o objetivo de gerar a UNIDADE, uma unidade falsa e maligna que é contrária a qualquer princípio bíblico, uma unidade gerada e nutrida em “meias verdades”.

É muito claro que o posicionamento pela “meia-verdade” é adotado por pessoas liberais que insistem em conviver com os cristãos conservadores, os liberais tendem fortemente para a apostasia pela sua falta de absolutismo quando se referem a verdades cristãs. Lutam por um evangelho conciliador, unificador, que não polariza, são totalmente firmados nos conceitos mundanos da convivência pacífica onde o relativismo reina “absoluto”.

Se não estivermos firmados na Palavra, firmados com entendimento (conhecimento adquirido pelo estudo e pesquisa) e com toda a iluminação divina (dada pelo Espirito Santo), podemos sucumbir, afundar junto com eles, naufragar na fé.

I Timóteo 4:1 e 2 deixa muito claro que dar ouvidos a “espiritos enganadores” (falsos mestres e pastores) só leva a pessoa a assimilar “doutrinas de demônios”, com uma única consequência a APOSTASIA e tudo começa quando não nos deixam falar TODA A VERDADE.

Anúncios

About this entry